Em nova Ação Emergencial, AMAGGI investe R$ 11 milhões para atender a famílias atingidas pela crise socioeconômica gerada pela pandemia em Mato Grosso, Rondônia e Amazonas.

Com a persistência da crise socioeconômica gerada pela pandemia da Covid-19 no Brasil, a AMAGGI está destinando R$ 11 milhões para a aquisição de alimentos não perecíveis para atender a famílias em vulnerabilidade social nos estados de Mato Grosso, Amazonas e Rondônia. Esta nova Ação Emergencial está sendo operacionalizada pela Fundação André e Lucia Maggi (FALM), responsável pelo Investimento Social Privado da AMAGGI e que vem coordenando a entrega de aproximadamente 150 mil cestas de alimentos em 18 municípios. Iniciada em maio, a Ação Emergencial se estenderá até o mês de dezembro.

“No ano passado, logo após o início da pandemia e da crise social gerada por ela, a AMAGGI e a Fundação André e Lucia Maggi deram início a várias iniciativas – como doações de equipamentos hospitalares e alimentos – que totalizaram cerca de R$ 6 milhões em investimento social a municípios do interior e a famílias em situação de vulnerabilidade. Em 2021, os impactos sociais e econômicos da pandemia infelizmente ainda persistem, com muitas famílias sem acesso a alimentos em um momento de tamanhas dificuldades. É por isso que voltamos a agir, investindo mais R$ 11 milhões para a segurança alimentar de cerca de 500 mil pessoas em Mato Grosso, Amazonas e Rondônia”, explica o presidente executivo da AMAGGI, Judiney Carvalho.

Os municípios abrangidos pela Ação Emergencial foram selecionados com base em estudos e pesquisas socioeconômicas, como os índices de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), de Vulnerabilidade Municipal (IVM) e de Pobreza e Extrema Pobreza apresentados no CadÚnico, do governo federal. A seleção também levou em consideração os indicadores referentes à pandemia da COVID-19 nas localidades em que a AMAGGI desenvolve atividades.

Amaggi — Foto: Divulgação

Amaggi — Foto: Divulgação

Como funciona

Adquiridos pela AMAGGI, os alimentos são distribuídos nos estados de Mato Grosso, Rondônia e Amazonas por meio de parceiros para mais de 200 organizações sociais, escolhidas de acordo com o perfil de atendimento da população em situação de pobreza e de extrema pobreza nos municípios selecionados. São estas organizações que, por fim, seguirão até dezembro realizando efetivamente a entrega das cestas de alimentos diretamente às famílias identificadas em situação de vulnerabilidade social e cadastradas no CadÚnico em suas localidades.

As entregas já estão sendo realizadas em todos os municípios abrangidos pela Ação Emergencial. Em Mato Grosso, os municípios abrangidos pela Ação Emergencial são Cuiabá, Confresa, Diamantino, Ipiranga do Norte, Itiquira, Novo Horizonte, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste, Querência, Rondonópolis, São José do Xingu e Várzea Grande. Em Rondônia, os municípios são Porto Velho, Ariquemes, Cerejeiras e Vilhena. Já no Estado do Amazonas, os municípios abrangidos são Manaus e Itacoatiara.

Impacto social

Por se tratar de uma empresa de alimentos, desde 2020 a AMAGGI tem dedicado a maior parte de seu investimento social no contexto da pandemia à segurança alimentar nas localidades onde mantém atividades – como de logística e produção agrícola. Com operacionalização da FALM, baseada em indicadores sociais, a Ação Emergencial atinge um alto nível de eficácia, pois consegue alcançar exatamente as famílias socialmente mais vulneráveis em municípios com os cenários mais preocupantes no que diz respeito à situação sanitária, conforme os indicadores.

Aproximadamente 150 mil cestas de alimentos atenderão a famílias em 18 municípios. — Foto: Divulgação

Aproximadamente 150 mil cestas de alimentos atenderão a famílias em 18 municípios. — Foto: Divulgação

AMAGGI