A Secretaria de Saúde de Cuiabá prevê para a segunda semana de janeiro de 2021 a eventual chegada de uma segunda onda de covid-19. Esse seria o tempo em que a incidência do contágio voltaria a crescer, ao fim das festas de Natal e Ano Novo e com quase um mês de férias escolares. 

A estimativa é o primeiro anúncio oficial sobre novo movimento da pandemia, que começou a ser percebido na região Sudeste há cerca de um mês. Ela levou a secretaria a antecipar medidas para lidar com o provável aumento de demanda no Sistema Único de Saúde (SUS). 

“Temos trabalhado com base em informações atualizadas diariamente e estamos num período de final de ano, em que as pessoas querem se reunir e festejar, o que levanta a possibilidade de uma segunda onda. Por isso, temos que reforçar junto à população a mensagem de que não é momento de baixar a guarda”, disse a secretária Ozenira Félix. 

Os órgãos de vigilância sanitária vão intensificar o monitoramento de casos, por meio de ligação de acompanhamento a pessoas em isolamento social, os testes RT-PCR para o diagnóstico do contágio serão ampliados e o número de agentes comunitários deverá crescer. 

Conforme a secretaria, a estratégia será informar a população pelos meios de comunicação e nas unidades de saúde públicas. A atenção secundária (UPA’s e policlínicas) e terciária (Hospital São Benedito e Hospital Referência à Covid-19), deverão ficar com leitos já disponíveis, especialmente os exclusivos para a doença. 

O boletim informativo divulgado no início da noite de ontem pela Secretaria de Saúde diz que Cuiabá tem, até o momento, 39.703 diagnósticos positivos para a covid-19. A boa notícia é que a maioria (36.999 casos) é considerada curada. 

O número de casos ativos com pessoas está em 242 internados, 67 em enfermaria e 80 em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Também há 54 pessoas com suspeita internadas em enfermaria e 41 em UTI. As mortes somam 1.156. 

OLivre