A deputada Janaina Riva (MDB) se mostrou indignada com o aumento nas contas de luz autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que começam a valer a partir de hoje (1º). Ela discursos durante sessão da Assembleia Legislativa e criticou duramente a decisão da Aneel que revogou decisão de maio que mantinham os preços estáveis até o fim do ano por conta da pandemia do coronavírus.

“Eu fico indignada com a decisão da Aneel de aumentar as tarifas de cobrança de energia elétrica no nosso país. R$ 6,24 a cada 100 kilowatt consumido. Isso é uma falta de respeito com a população brasileira, sem tamanho. Principalmente pelo momento que vivemos, onde a grande maioria da população está dentro de casa consumindo energia elétrica. E agora, sofremos com mais esse abuso, principalmente pela energia de má qualidade que nós temos no estado”, disparou a parlamentar.

Ela lembrou das constantes oscilações e queda no fornecimento da energia elétrica, que a população é obrigada a conviver. “Em minha casa, rotineiramente, pelo menos duas vezes ao mês ficamos sem energia elétrica. Isso é um abuso com nosso país. Tem que ser tomada uma medida com relação a esses aumentos abusivos que a Aneel vem realizando no nosso país”, completou Janaina Riva.

Mantendo o tom de indignação, a parlamentar sugeriu debate sobre redução de impostos. “Nós somos o estado que mais cobra impostos, e somos o 17% país que mais cobra impostos dos seus cidadãos. E não temos ofertado para a população qualidade no atendimento dos serviços públicos”, concluiu.

Entenda melhor

A Aneel decidiu reativar as bandeiras tarifárias nas contas de luz, suspensas por conta da pandemia do coronavírus até o ano que vem, e aplicar a bandeira vermelha patamar 2, o que aumenta o preço da energia para os consumidores. Atualmente, com a bandeira verde, não há cobrança de taxa extra, enquanto na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1,343 a cada 100 kWh consumidos.

Já a bandeira vermelha ocorre em dois níveis cobrados, sendo que no primeiro nível, o adicional é de R$ 4,169 a cada 100 kWh, enquanto que no segundo nível, como é o caso em MT, a cobrança extra é de R$ 6,243 a cada 100 kWh.

Agoramt