Mesmo com a pandemia da Covid-19 fazendo  comércio ter perdas e fechamentos constantes, Mato Grosso teve um crescimento de 15,17% na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nos primeiros seis meses deste ano.

As informações da Federação das Associação de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite) foram ao ar em um levantamento feito pela CNN Brasil. Mato Grosso lidera o ranking entre os seus vizinhos federativos que tiveram alta no recolhimento de impostos durante a pandemia. Os demais mantiveram arrecadação “estável” ou tiveram queda na receita.

No painel, além de Mato Grosso, que ocupa o topo da lista, aparecem os Estados do Mato Grosso do Sul (5,56%), Roraima (4,44%), Pará (2,92%), Amazonas (2,32%) e Rondônia (0,43). Todos os demais arrecadaram, em média, 18% a menos com o imposto.

O levantamento vai na contramão do apresentado pelo secretário de Fazenda Rogério Gallo (DEM), que já apontou mais de R$ 30 milhões de perdas, que ultrapassam 15% do que seria ganho se estivéssemos em um período normal.

Dados que foram divulgados pelo Conselho de Política Fazendária (Confaz) durante reunião da Comissão Especial Mista da Covid-19, também mostraram que Mato Grosso foi o único a registrar aumento da receita, com crescimento de 4% no segundo trimestre deste ano, comparado ao mesmo período do ano passado.

 De acordo com o levantamento, a arrecadação de ICMS superou a R$ 3,2 bilhões entre abril, maio e junho deste ano. O incremento foi de R$ 128 milhões em relação a 2019.

OlharDireto