A história de Aripuanã sempre esteve ligada à mineração. O município com população estimada em pouco mais de 23 mil habitantes nasceu na primeira metade do século passado com uma grande extração e o comércio de ouro na região.

Com alto potencial para o desenvolvimento da atividade mineral, Aripuanã desponta com cobre, zinco e chumbo. Paralelo a esses materiais está o ouro com um trabalho de informalização do garimpo. Desta forma um grupo de garimpeiros quer a criação de uma cooperativa para a atividade. 

De acordo com o senhor Antônio Vieira da Silva, que representa os garimpeiros da região, a implantação da cooperativa de garimpeiro, tem como uma estratégia para melhorar as condições de trabalho dos profissionais da atividade, além de promover uma exploração ambientalmente sustentável e legalizada.

“A implantação de uma cooperativa de garimpeiros no município é como uma estratégia para dar as devidas condições a esses trabalhadores, promovendo desta forma uma exploração ambientalmente sustentável. Tirar o sustento para a família. Isso não precisa ser feito em condições inadequadas”, enfatiza Antônio.

Os organizadores convidam os trabalhadores para criação da Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros de Mato Grosso (Coopemiga). Os interessados em fazer parte da cooperativa devem participar da Assembleia Geral de Fundação, no dia 06 de dezembro, das 07 às 21 horas, no Ginásio de Esporte Cayo da Silva Porto Gomes em Aripuanã.